• alziraboechat

PACTO COM A FELICIDADE C.D.de ANDRADE

Atualizado: Jun 5


Por do sol na "Casa do Lago"- NY Foto de Terezinha Boechat- abril de 2020


Estocolmo,7/04/2020


Bom dia da Super lua rosa hoje!

Amiga Angela(sabe tudo!) me alertou! Vou olhar hoje da minha janela.

Formei em Língua e Literatura Portuguesa/Literatura Brasileira na Faculdade de Itaperuna, recém fundada por Padre Humberto(que não viu a primeira turma se formar(a minha)porque ele desencarnou antes em Aachen, cidade em que ele nasceu e morreu, na Alemanha. E onde eu morei por duas vezes durante 7 anos, com o Ari .


Graças a esses dois períodos, hoje leio em alemão. Tomara que Padre Humberto saiba disso. Quando fui aluna dele de inglês na Faculdade nem imaginava olhar para alemão. Hoje tenho vários diplomas de terapeuta holística na língua dele, da qual conservou o r carregado em português.Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo! Gratidão ao meu amigo Vito que me trouxe na mão o contato da mestra Birgit Aulich!


Li muito Drummond. Fiz curso sobre ele. Li livros de literatura sobre a obra dele. Não me lembro de nenhuma poesia dele. Como é nossa memória!

Lembro dos temas,lembro das crônicas no Jornal do Brasil, lembro dos fatos da biografia, lembro das análises dos poemas, mas não dos poemas. Digo, tenho condição de reconhecê-los como drummondianos, mas não sou capaz de citá-los. Devo reconhecer que me dou melhor com prosa do que com poesia; não que não goste, mas ...

Depois desse passeio aí pela história/memória, vamos ao poema, muito de acordo com nossa época.

(Novamente enviado por Regina Scheer, esse texto. Gratidão!)

Com carinho,

Alzira Maria


PACTO COM A FELICIDADE Carlos Drummond de Andrade De hoje em diante todos os dias ao acordar, direi: Eu hoje vou ser FELIZ ! Vou lembrar de agradecer ao sol pelo seu calor e luminosidade, sentirei que estou vivendo, respirando. Posso desfrutar de todos os recursos da natureza Gratuitamente. Não preciso comprar o canto dos pássaros, nem o murmúrio das ondas do mar. Lembrarei de sentir a beleza das árvores, das flores. Vou sorrir mais, sempre que puder. Vou cultivar mais amizades e neutralizar as inimizades. Não vou julgar os atos dos meus semelhantes ou companheiros. Vou aprimorar os meus. Lembrarei de ligar para alguém para dizer que estou com saudades ! Reservarei minutos de silêncio, para ter a oportunidade de ouvir. Não vou lamentar nem amargar as injustiças. Vou pensar no que posso fazer para Diminuir seus efeitos. Terei sempre em mente que um minuto passado, não volta mais, vou viver todos os minutos proveitosamente. Não vou sofrer por antecipação prevendo futuros incertos, nem com atraso, lembrando de coisas sobre as quais não tenho mais ação. Não vou pensar no que não tenho e que gostaria de de ter, mas em como posso ser feliz com o que possuo. E o maior bem que possuo é a própria vida. Vou lembrar de ler uma poesia e de ouvir uma canção, vou dedicá-las a alguém. Vou fazer alguma coisa para alguém, sem esperar nada em troca, apenas pelo prazer de ver alguém sorrir. Vou lembrar que existe alguém que me quer bem, vou dedicar uns minutos de pensamento para os que já se foram para que saibam que serão sempre uma doce lembrança, até que venhamos a nos encontrar outra vez. Vou procurar dar um pouco de alegria para alguém, especialmente quando sentir que a tristeza e o desânimo querem se aproximar. E quando a noite chegar, vou olhar o céu, para as estrelas e para o luar e agradecer a Deus, porque hoje eu fui FELIZ !


Gratidão, Carlos Drummond de Andrade. Seja feliz onde quer que esteja atualmente!

Com carinho,

Alzira Maria

8 visualizações
banner-dois.png

© 2019 - created by Fernanda Curcio          |           Política de Privacidade